Publicado em 07/02/2018 - 22:48 e atualizado em

XVI Prêmio Baixada celebra troca de saberes




No último domingo (4), artistas, instituições, produtores e fazedores culturais da Baixada Fluminense participaram do cerimonial do XVI Prêmio Baixada. A festa, que começou na sexta (2), ocupou a sede do Grêmio Recreativo Musical Guapiense, em Guapimirim, na Baixada Fluminense, com exposições e apresentações de artistas locais e finalistas ao prêmio. O evento foi realizado pelo Fórum Cultural da Baixada Fluminense em parceria com a prefeitura da cidade.

O jornalista Alberto Aquino conduziu a cerimônia, acompanhado da presidente do Fórum, Claudina Oliveira. Foram 12 contemplados entre os 35 finalistas que disputaram 11 categorias. O prefeito de Guapimirim, Zelito Triguelê; o secretário de Cultura da cidade, Luís Cláudio; o subsecretário estadual de Cultura, Leo Feijó; foram algumas das autoridades que anunciaram os vencedores.

O clima de “encontro entre amigos” evidenciou características que também estavam presentes no trabalho dos candidatos, como a cooperação entre pessoas que produzem atividades culturais na região, e a vontade de desenvolver projetos que multipliquem saberes e ampliem as possibilidades do crescimento do morador baixadense e da cultura da Baixada.

Segundo o professor Gênesis Torres, presidente honorário do Fórum, os participantes têm se dedicado a compartilhar seus conhecimentos, como gaivotas voadoras (em alusão a história de Richard Bach). “Essa é a missão: sair, evoluir e não ficar com os saberes para si. Aprender e retribuir. Percebemos que essa lição está presente no trabalho de todos aqui”, ressaltou.

A preservação também foi um dos pontos mais destacados. Alessandro Ribeiro de Brito, representante da Escola Musical Santa Cecília, ganhadora do prêmio na categoria Patrimônio Cultural, reforçou a a necessidade de manter linguagens que representam o território da Baixada Fluminense, como a banda de música.

Na categoria Responsabilidade Social e Sustentabilidade, Idalina Souza, de Duque de Caxias, conquistou o prêmio por seu trabalho em prol da defesa e valorização das tradições afro-brasileiras. Em um discurso emocionado, falou sobre a invisibilidade social e a desvalorização que sentia na época em que era catadora de materiais recicláveis. O prêmio foi entregue pelo representante da Secretaria de Cultura de Nova Iguaçu, Geraldo Bastos.

Ao destacar a importância do trabalho da caxiense, Bastou lembrou que, em 2017, mais de 20 terreiros de Candomblé foram roubados e incendiados em Nova Iguaçu. “São essas pessoas que promovem solidariedade na periferia que tem promovido uma cultura de paz nesses lugares. São essas pessoas também que têm sido atacadas por causa da intolerância religiosa e, que, apesar de toda a violência, têm resistido”.

Três prêmios especiais também foram concedidos: à Memory Audiovisual, na categoria Economia Criativa; à Orquestra Sinfônica da Baixada, na categoria Música; e à Flutuarte, na categoria Artes Cênicas. Esta última, inclusive, recebeu uma boa notícia: ao longo da cerimônia, o prefeito Zelito anunciou que a prefeitura retomaria a parceria com a companhia no segundo semestre de 2018.

Ao final da premiação, o professor Gênesis fez uma homenagem ao professor Paulo Mainhard, falecido em 2016. Além de ser um dos fundadores do Fórum, Mainhard era coordenador do PINBA (Programa Integrado de Pesquisas e Cooperação Técnica na Baixada Fluminense), da UERJ, que contribuiu para a criação do Fórum. “Mainhard, não era baixadense, mas se dedicou as causas da cultura e a cultura da Baixada Fluminense”.

As instituições que fizeram eventos alusivos ao Dia da Baixada (30 de abril) e os apoiadores do Prêmio também foram homenageados, com certificados. “ Temos um profundo sentimento de gratidão aos que apoiam e incentivam a criação e difusão da cultura na região. Essa é uma das nossas missões (do Fórum). Convidamos os presentes para se juntar a nós, porque o Fórum somos todos nós”, finalizou Claudina Oliveira. O corpo de ballet infantil guapiense e a banda Túnel do Tempo encerraram a festa.

Conheça os vencedores:

Artes Visuais e Artes Digitais Eletrônicas – Fabiana Kaled

Audiovisual – Flávio Machado

Cidadania – Instituição Espiritualista Oni Lewa Njo

Comunicação em Mídias Interativas – Japeri Online/ Ivan Lima

Literatura – Thiago Kuerques

Música – Irio Lima

Patrimônio Cultural – Sociedade Musical Santa Cecília

Produção Acadêmica – Edileuza Queiroz

Produção Cultural (pessoa física) – Eric Fanuel

Produção Cultural (pessoa jurídica) – Sesi Duque de Caxias

Responsabilidade Social e Sustentabilidade – Idalina Souza

Artes Cênicas – Ru’art

Fundador e Editor do Site Japeri Online




Últimas Notícias